EXTRATO AQUOSO DE FOLHAS DE PINHEIRA NO MANEJO DA CASCA-PRETA-DO-INHAME

  • I. C. S. Magalhães
  • M. F. S. Muniz
  • G. Moura Filho
  • C. H. Ramírez
  • A. S. Araújo
  • N. H. M. Soares

Abstract

Entre as enfermidades que afetam a cultura do inhame (Dioscorea spp.) no Brasil, destaca-se a casca-preta, causada por Scutellonema bradys, Pratylenchus coffeae e P. brachyurus. O presente trabalho teve por objetivo avaliar o efeito nematicida do extrato aquoso obtido de folhas de Annona squamosa. As plantas de inhame foram inoculadas 30 dias após o plantio, com suspensão de população mista formada por 1.000 espécimes dos nematoides S. bradys e P. coffeae.  Os experimentos foram conduzidos em dois períodos, em delineamento inteiramente casualizado, com esquema fatorial (5 x 2) + 2 e sete repetições, sendo utilizadas cinco concentrações do extrato (1,0; 2,0; 3,0; 4,0 e 5,0%), dois períodos de aplicação: 1)  30 dias após a inoculação; 2) 30 e 60 dias após a inoculação, mais o controle negativo (água)  e o controle positivo (Benfuracarbe, Pottente®). A densidade populacional de nematoides no solo e raízes e o fator de reprodução (população final/população inicial) foram avaliados seis meses após o plantio. Não houve diferença significativa para os períodos de aplicação do extrato em ambos os experimentos. Em todos os tratamentos houve redução da população dos nematoides, principalmente a partir da concentração de 3%. O extrato aquoso de folhas de A. squamosa apresentou efeito nematicida epode ser considerado uma alternativa no manejo de S. bradys e P. coffeae.

Published
2020-11-16
Section
ELECTRONIC ARTICLE/ARTICULO ELECTRONICO